Scratch Time!

Começo já pelas coisas más para as exorcisar de mim para fora…
Sempre a ‘net a funcionar mal, depois a não funcionar, depois a desaparecer de uns computadores a meio de trabalhos, fazendo-os perder tudo, outras impedindo-nos de actualizar blogues, corrigir erros, publicar trabalhos…
Confesso um cansaço imenso. O mais difícil? Lidar com a desilusão deles, tentar manter a moral elevada (apesar da revolta geral de todos nós), ir encontrando alternativas, conseguir ajustar o trabalho à pobreza dos recursos.
E a notícia: só no final do ano a situação se tentará resolver, pois receia-se que a forte necessária mexida no sistema possa implicar ficarmos completamente sem internet no piso onde funcionamos…
Não podiam ter-me dado melhor notícia. Pelos meninos, pelo trabalho com eles, pelo mestrado (este é o meu pior ano do ponto de vista do horário de trabalho, distribuição de serviço e, agora, condições para pôr em prática tudo o que sonhei e ainda sonho).
Por estes dias confesso… de cada vez que me aparece um governante na televisão e eu tenho a pouca sorte de estar a olhar para ela, dou-me ao trabalho de procurar o comando e mudar de canal. Geralmente aterro no AXN de volta dos CSIs e afins. Tudo o que me afaste da realidade pobrezinha em que temos de sobreviver… apesar do marketing areia da distribuição dos milhões…

Adiante.

A verdade é que lá vamos andando. Que o entusiasmo deles é sem tamanho. Que o meu se cola ao deles e assim vamos caminhando como podemos, um pouco irritados, mas felizes.

Podia falar das minhas alunas de sexto ano, técnicas de apoio, que me montam a sala com os portáteis, que passam o tempo a correr para ajudar os pequeninos, tentando restabelecer a net nos portáteis… sabem já todos os truques a aplicar… reparam a rede… religam a linha aos portáteis (está sempre a fugir dessa rede para outra que não funciona)… carregam no bluetooth várias vezes… reclamam quando a ‘net se perde em todos, soltam exclamações de entusiasmo quando conseguem recuperá-la nem que seja num computador… são incansáveis. Pelo caminho estacionam num computador, tentam também trabalhar um pouco, aprendem com os mais pequenos coisas, ensinam-lhes outras… É uma dança mágica… da necessidade nasce o engenho.(Ai este meu lado mais optimista!)
Podia falar da Bia, do seu blogue, das imensas descobertas que gosta de fazer sozinha, de como partilha o que sabe com todos à sua volta… criar contas no youtube, conta no Slide.com, links nos blogues, composição de cabeçalhos lindos… da Mada… exigente, concentrada, sempre ocupada com mais um projecto difícil… da Maria e da Filipa às voltas com o seu projecto sobre a Água para Ciências, do Manuel que lá aprendeu hoje com a Bia como usar o Slide.com (já me escreveu há pouco a dizer que colocou no blogue uma experiência feita em casa, depois da sessão na escola), da Inês e das entradas perdidas por erros de ligação à ‘net (ah menina persistente e doce!), da Carol de volta da poesia e do seu blogue… do Fábio a quem hoje apeteceu estar connosco (tudo guardado em filme) mas…
… vou falar sobretudo do meu menino especial a quem um dia destes escrevi uma carta… Nem sempre tudo tem sido fácil. Mas já consigo sempre cadernos e manuais, assiduidade, pontualidade, alguma atenção, perguntas, algumas respostas… sorrisos… mesmo ralhando ainda muito e sentindo que o que dá está bem aquém do possível. (Realmente já caminhou bastante desde que deixou a anterior turma – curiosamente, aquela onde os meus meninos de 6º foram um destes dias ensinar scratch – mas eu sou tão exigente que não lhe dou sossego… e conhecendo a sua história… poderia sentir-me tentada a afrouxar no trato… mas não… figura de mãe, sim, posso ser, mas mãe deve ser tão carinhosa quanto exigente…)

Hoje veio pela primeira vez ao Scratch Time… Nas aulas contactou apenas duas/três vezes com o programa e pareceu-me revelar facilidade e gosto… ainda assim, nunca consegui convencê-lo a vir partilhar este espaço connosco.

Filmei muita coisa hoje. Tudo directo para o DVD do dia. Mas pelo menos três grandes segmentos são do trabalho que desenvolveu… comigo a seu lado umas quantas vezes.
Encantámo-nos ambos, perdemo-nos em aventuras, perguntas, mistérios… pela primeira vez as coordenadas em acção… e sente-se o entusiasmo. O final foi duro mas engraçado, apesar de tudo. Queria publicar o que fez… nada de ‘net… a Mada veio em nossa salvação com um mp3 porque o computador não reconhecia a minha mini-pen… dali passámos a correr para outro portátil ainda com net… nada… fugiu a ‘net na hora H… prometi que o trazia para casa e o publicava (escreve aí num papelinho em segredo a tua password). Já lá está. E já deitei fora a pass… e já deixei comentário.

Oportunidade de ouro para estreitarmos laços.
Ajudou nas arrumações. Pedi que ficasse um pouquinho e aproveitei para, mais uma vez, procurar que percebesse que está nas suas mãos, no empenho, na entrega (de que deu hoje exemplo durante duas horas), no trabalho, a solução para avançar, para continuar connosco para o ano, para se integrar verdadeiramente nesta sua nova turma. Tu consegues. Viste hoje? Com tão pouco tempo eles ficaram a admirar-te ainda mais por perceberem que já dominas tão bem o programa…
Sorriu, sorriu, sorriu.
E depois… sorriu.
Acho que nunca o vi sorrir tanto.

Antes da sessão acabar, as maternais Bia e Inês perguntaram-lhe, sem eu saber (ou encomendar), se havia gostado do Scratch Time… e uma delas veio segredar-me com sorrisos nos olhos:
oh professora, ele gostou muito!

Mas eu nem precisava dessa informação…
Eu estava ao teu lado, Mig, e senti…

Ver AQUI o segundo vídeo.


RSS my delicious

  • Ocorreu um erro; é provável que o feed esteja indisponível. Tente novamente mais tarde.

Blog Stats

  • 162,686 hits
Abril 2008
M T W T F S S
« Mar   Maio »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Categorias


%d bloggers like this: