Archive for the 'Ciências' Category

L’ araignée tisse sa toile…

Um amigo enviou a animação por correio electrónico (obrigada, Jorge!).
.

Claro que tive de perceber de onde vinha esta preciosidade…
E cheguei aqui… e aqui
.
E até descobri que há uma Ilha Virtual do L’ESPACE DES SCIENCES para todas as idades! Com direito a vídeo de apresentação. Tudo em francês… (uma boa motivação para contactar com a língua?… que no terceiro ciclo é frequentemente uma dor de cabeça para os professores).
.

.

Bons recursos para as Ciências!

How students learn (recursos preciosos)

Só de fugida… partilhar um recurso magnífico para o qual JL (Herr Mac.) me chamou a atenção há tempos (Livro mais CD). Está relacionado, é claro, com o célebre
How people learn

 

How Students learn: History, Mathematics, and Science in the classroom

(2005)

Authors:Committee on How People Learn, A Targeted Report for Teachers, Center for Studies on Behavior and Development, National Research Council Authoring Organizations
Description:How do you get a fourth-grader excited about history? How do you even begin to persuade high school students that mathematical functions are relevant to their everyday lives? In this volume, practical questions that confront every classroom teacher are …Read More
Reviews:”The authors provide detailed explanations of how they developed successful curricula and teaching approaches, with strategies that serve as models for curriculum development and classroom instruction. For teachers, administrators, curriculum designers, teacher educators, and parents.” –BOOK NEWS, Inc. … Read More
Hoje encontrei o local do tesouro AQUI para se poder começar a exploração.

———-

Um pouco por acaso, acabei por ver também devolvida na pesquisa o capítulo 2 (How Students learn) de um outro livro: Teaching Handbook (Teaching at The Ohio State University). Andei “para trás”… e dei com o dito livro AQUI.

OK. Mais dirigido a professores universitários, mas útil para nós também. E suponho que fosse muito útil em algumas Universidades onde algumas destas questões devem estar um pouco à margem da sua vida quotidiana…

 

Afinal, tal como é dito no capítulo 2…

As a visiting lecturer at Ohio State some years ago, Professor Tony Grasha of the University of Cincinnati titled his talk, “How Can I Teach You If I Don’t Know How You Learn?” Although Grasha’s question seems perfectly logical, quite amazingly, colleges and universities have traditionally had no formal requirements for any study of learning theory in the backgrounds of the people they hire to teach. The longstanding assumption has been that if one knows a body of knowledge, one can teach it. Recently, this assumption has been questioned and more systematic efforts to prepare graduate students and new faculty for teaching have been undertaken. Knowing how students learn involves exploring theories of cognition and motivation, knowing the backgrounds of the students one will teach, and being aware of differences in learning styles and stages of development among one’s students.

The material offered here will provide an overview of current learning theory, some constructs that have been used by researchers to organize descriptive information on students’ ways of learning, and implications for instructors.

————-

E, também por acaso, outro recurso interessante

How Students learn
George Brown
A supplement to the Routledge Falmer Key Guides for Effective Teaching in Higher Education series

AQUI

Desafiar… Reconhecer… Desafiar mais…

Anda há pouco estava na aula de Ciências com os meus pioneiros do Scratch e, ao dar um pulinho rápido ao portal português, descubro que os desafios da aula já estavam a frutificar.
Mas frutificaram de forma doce: num aluno que este ano ainda não havia regressado ao Scratch, apesar de ser um programador com muito talento.

Se o acontecimento é alheio ao evento de sexta?
Não. Recolhemos e recolheremos por muito tempo o fruto de terem visto o seu trabalho reconhecido e valorizado. Algo tão simples e tão poderoso.
E mais dois alunos vão regressar. O entusiasmo uniu-os a todos de novo em torno do desafio de chegar mais longe.

Porque vivemos tempos de muitas solicitações e, na vida deles, não há lugar para tudo. Têm de fazer escolhas. E depois alterá-las se sentirem que vale a pena.

Dou-me por feliz quando sinto que os desafios têm eco neles.
A minha Buterfly (só com um t de propósito) saíu da aula com um esboço feito no caderno para um projecto sobre o sangue (aqueles planos dela são sempre preciosos) e o Bocas já levava o dele na cabeça sem me dizer nada.
Falávamos há umas horitas da constituição do sangue e das funções dos constituintes e aí está já um projecto sobre os temas que abordámos hoje na aula… Só mais umas pequenas correcções e fica perfeito (por isso não publico ainda aqui). Podem consultar na sua conta Scratch: http://kids.sapo.pt/scratch/users/bocas


Eles já sabem… quando levo a mão à cabeça e interrompo um pensamento… dizem: Lá vai a professora ter mais uma ideia e fazer-nos uns desafios para projectos no Scratch… 🙂

Não se enganam. É mais forte do que eu.

Conhecem-me (tão) bem! (E eu a eles…)


RSS my delicious

  • Ocorreu um erro; é provável que o feed esteja indisponível. Tente novamente mais tarde.

Blog Stats

  • 165,377 hits
Agosto 2017
S T Q Q S S D
« Out    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Categorias