Archive for the 'Blogues/Sítios EDUTIC' Category

Scratch: imaginar, criar… crescer?

Já passaram alguns anos desde que a Alison entrou na minha vida como um relâmpago. Energética, acelerada, determinada… nunca foi minha aluna em sala de aula, mas apareceu no Clube Scratch time perguntando se podia inscrever-se. Tinha 9 anos e acabara de entrar para o 5.º ano.

Nas sessões de formação Scratch para professores, conto sempre a suas história com o Bolt… De como perguntou se era possível “pôr o Bolt a correr”… de como desenhou o cão, pediu à Mãe para digitalizar as imagens e no Clube aprendeu a fazer animações.

No ano que passou fez-nos uma surpresa doce que contei aqui pois, agora já no 8.º ano, resolveu melhorar um pouco a sua primeira versão do Bolt e voltou a publicá-la.

Scratch Project

Nunca deixou de programar com o Scratch. Adora desenhar, adora inventar e contar histórias e os seus projetos têm uma marca muito pessoal que os distinguem de outros. Programar é algo pessoal e revelador da individualidade. Cada um de nós é único e a Escola devia reconhecer essa verdade. Urge usar ferramentas que não uniformizem, que não limitem quem somos nem o que sonhamos.

Partiu para Inglaterra onde continuará a estudar, agora no 9º ano, e acabei de descobrir um projeto seu em Inglês, decerto já publicado a partir da sua nova casa.

Scratch Project

Já o comentei. Precisa de ser melhorado, claro. Algumas legendas são muito rápidas, existem alguns erros na escrita em língua inglesa, mas, desculpem-me os puristas, olho para ele… sigo a história deliciada e consigo ver para além do pormenor o quanto a Ali vai crescendo na sua criatividade, no seu sentido apurado de perspetiva e realização, na sua persistência e determinação.

Muitos dos seus projetos não são complexos do ponto de vista da programação. Este suporta-se no desenho de cenários sequenciais e a programação não é mais do que um conjunto de ordens para que os cenários se sucedam como imaginou, para que contem a história como deseja contá-la. A ferramenta é o meio para lá chegar, é o suporte para as suas ideias, é a forma de chegar facilmente aos outros. Aprende com a programação, claro, sempre… mas muito para além disso opta por usar as TIC ao serviço da criação, da construção, da reinvenção e vai crescendo como ser humano.

As TIC são terreno fértil para a semente de todo o seu potencial criador. Em vez de as usar apenas no consumo do que outros fazem, a Ali, no verdadeiro espírito Web 2.0, é produtora de conteúdos que oferece aos outros de forma simples. O Scratch, por ser tão flexível, permite tudo e estimula esse importante gesto de construir com as TIC. É integrador, aglutinador de outras ferramentas, é simples e complexo, permite avançar na educação matemática de conceitos-chave complexos (mesmo com crianças de tenra idade), permite desenvolver técnicas de comunicação e o domínio da língua materna, promove o desenvolvimento do espírito crítico e do sentido de responsabilidade (não se partilha qualquer coisa com o mundo), ou apenas ser um meio para que a criança ou o jovem expressem outras habilidades e competências que a Escola nem sempre valoriza (infelizmente) reforçando a sua confiança e auto-estima. É um caminho para o currículo formal para as crianças que dele se afastaram, ou cujas dificuldades constituem obstáculo denso. É um caminho para a excelência, no outro extremo, quando as crianças “filhas de um Deus maior” querem mais e a Escola não oferece outros caminhos para além dos da mediania em que vive.

Como sempre, o elemento humano é a coisa-chave. Educamos e formamos pessoas e não podemos desperdiçar uma só ferramenta que nos ajude a torná-los melhores cidadãos deste século. Pode ser o Scratch ou outra qualquer (ele socorre-se de todas e do trabalho sem TIC para se tornar ainda mais rico no seu alcance)… mas desiluda-se quem acreditar que só por mudar os meios e fazer o mesmo nas aulas os milagres acontecem. As TIC são os que as pessoas querem que sejam. Sem professores, sem alunos e sem formas de utilização bem pensadas e com metas adequadas, não produzem melhor educação.

A maioria dos alunos que experienciou o Scratch não se tornará programador, poderão mesmo nunca mais programar, mas crescem e desenvolvem competências variadas de forma consistente que não vão desaparecer do seu currículo interior enquanto pessoas.
Aprender a língua materna não produz por si só escritores… mas desenvolve em nós muito mais do que competências linguísticas. Aprender ciência ou artes não produz necessariamente cientistas ou artistas, mas se o trabalho da escola for bem feito, fazem a diferença no futuro individual e comum.

E os professores que oferecem aos seus alunos experiências variadas com as TIC, numa perspetiva de inovação das formas de ensinar e aprender, também crescem com eles e são muito mais felizes.

Se mais não fosse… já chegava para valer a pena a experiência neste mundo tão cheio de desilusões e tristezas.

Alguém quer começar?
Deixem-se surpreender…

http://eduscratch.dgidc.min-edu.pt/

Anúncios

Scratch: programming for all

Que ferramentas lhes colocamos na mão? Que tempo lhes dispensamos numa mediação cada vez mais necessária e, simultaneamente, mais ausente (casa, escola)?

É preciso reflectir… e… agir!

(Recurso partilhado no portal EduScratch – clicar na imagem)

Scratch no 1ºC e Jardim de Infância – experiências lá fora (Quebec e México)

Vale a pena ver, escutar, ler…
Damos em Portugal os primeiros passos, assim como acontece em outros países. Teremos sempre muito a ganhar com a partilha de experiências e é por isso que no portal EduScratch serão divulgadas actividades dentro e fora de Portugal…

Marie Jobin, débutante en Scratch

 

Mon cheminement avec mes élèves à la maternelle avec scratch 
Comment des enfants de maternelle peuvent-ils scripter ?

AQUI

e AQUI 

Projet Construire une histoire

Outra história – no SCRATCHED

Scratch Club Kids, pilot project launched by ITJ`s Kindergarden

Página correspondente:

Instituto Thomas Jefferson is a private school in Mexico City, Queretaro and Guadalajara. We have integrated Scratch to our everyday learning activities, so our students can express freely, and therefore enhance their creative thinking and self confidence. * In Kindergarden the students are currently creating a Scratch library that gathers the best of their projects. * In Elementary School, Scratch is a tool our kids use to complement their science and social studies projects. They have developed several interactive games to learn in a fun way. * Both Kinder and Elementary have created their own Scratch Clubs to sharpen their teamwork and persuasive skills. * In Middle and High School, our students are mentoring low income schools to enable life in a digital world. To visit our projects, simply search for the word “ITJ” in the Scratch website. Our kids are willing to have some feedback! Account admin: Carolina Jauckens. 

TIC EDUCA 2010



I Encontro Internacional TIC e Educação
INOVAÇÃO CURRICULAR COM TIC
19 e 20 de Novembro 2010
Lisboa, Portugal


O I Encontro Internacional TIC e Educação é uma iniciativa do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa em articulação com a Revista Educação, Formação & Tecnologias e com a Unidade de Investigação em Educação e Formação da Universidade de Lisboa e tem como principal finalidade proporcionar um espaço de reflexão sobre práticas de integração e inovação curricular nas escolas portuguesas e em outros contextos de formação e aprendizagem.

Durante os meses que antecedem o Encontro estará disponível uma rede social para partilha de ideias sobre os diferentes temas propostos para discussão. Um espaço informal destinado a todos os que se interessam pelas questões da utilização das TIC para fins educativos, tencionem ou não estar presentes no Encontro em Novembro.

Faça a sua INSCRIÇÃO na rede social, participe e acompanhe as discussões!!

Utopia (Portugal)…

… ou não.

http://arci.pt/site/utopia-portugal/

Utopia Portugal

 

utopia-portugal_018.jpgutopia-portugal_018.jpgUtopia Portugal, são o conjunto de 25 Simuladores que a ARCI dispõe, nos quais se poderão encontrar réplicas de espaços portugueses, uma grande comunidade portuguesa em desenvolvimento, com projectos culturais e educativos, Clube de Inter Ajuda, que promove esclarecimentos sobre o uso da plataforma virtual, na criação de conteúdos e promoção de projectos, com o nome de: Clube ARCI – O Aprendiz!

Existe ainda a comunidade de empresas reais, que começam a entrar no mundo virtual e a tirar partido do mesmo pela grande vantagem que este tem de quebrar barreiras fisicas e proporcionar a todos os utilizadores, até internacionalmente, o conhecimento dos seus produtos ou serviços, bem como de os poder adquirir.

Neste espaço, poderão encontrar fotos dos espaços já criados ou em contrução, bem como a apresentação dos grupos que constituiem a comunidade da Utopia Portugal e dos seus projectos.

ARCI

 Ass. Recreativa para a Computação e Informática

A ARCI foi constituída em Setembro de 2003 e desenvolve actividades de administração de redes Inter/Intranet (usando a tecnologia Microsoft VPN e ISA Server), formação pedagógica em informática, actividades recreativas ligadas à comunicação, criação de software customizado de gestão sobre internet, desenvolvimento de projectos sobre conteúdos de banda larga, desenvolvimento de consultoria sobre soluções técnicas informáticas e de telecomunicações a implementar conteúdos de formação e soluções de assistências técnica em hardware, software e Web/internet. No presente, a ARCI está a desenvolver em paralelo com as restantes actividades, três áreas, que se prendem com a introdução e generalização em Portugal de plataformas de realidade virtual. A primeira área, de cariz formativo e social explora as possibilidades de comunicação, de trabalho colaborativo e cyberlearning em plataforma SecondLife; A segunda área, tem uma vertente cultural-tecnológica, explorando uma forma de arte emergente – Machinima, termo criado a partir das palavras da língua inglesa machine (máquina) e animation (animação), é a técnica de produção associadas a um género de filme, ou filme criado por tais técnicas de produção. Reconstituição em ambiente de realidade virtual, de espaços e edifícios; colocação em realidade virtual de espaços – memória ou com características especiais; exploração e visualização de soluções urbanísticas; A terceira área, relaciona-se com um projecto em colaboração com Fundação P, para desenvolvimento de actividades de pessoas com sérias deficiências motoras, auditivas e de foro neurológico, em plataforma de realidade virtual (Secondlife) com vista a estimular as suas capacidades e assim conseguir superar o isolamento causado pela sua patologia.

Quinta da Regaleira no Second Life (António Fazendeiro)


Quinta da Regaleira é a nova exposição de fotos RL (gíria para Real Life – as fotos são do mundo real) de reViriato Merlin. O fotógrafo profissional, António Fazendeiro, expõe as suas fotografias da Quinta da Regaleira, Sintra, no espaço Tripé, em Portucalis, a partir do dia 27 de Março. A inauguração está agendada para esse dia – sábado, às 22h (GMT), 3.00 pm (PDT).
O texto que acompanha o convite é uma breve história que relata a criação e a envolvência do espaço (
FONTE do texto e da imagem: Portucalis)

Hora de início:
Sábado, 27 de Março de 2010 às 22:00
Fim:
Sexta-feira, 30 de Abril de 2010 às 0:00
Local:
Portucalis_Praça das Flores nº 7

Coordenadas 37º 47′ 45” N, 9º 23´’ 45” ODescrição:

A história remete-nos a 1697, quando José Leite era dono e senhor de uma vasta propriedade nos arrabaldes da serra de Sintra, pertinho da Vila de Sintra. Após muitas voltas do tempo, por volta de 1892 os barões da Regaleira vendem esta herdade a António Augusto Carvalho Monteiro, conhecido pela alcunha de, o “Monteiro dos Milhões”. Nascido no Brasil, herdou de seus pais emigrantes afortunados pelas benesses do café, da borracha e de pedras preciosas, uma enorme fortuna. Muito novo, embarcou para Portugal para estudar, licenciando-se em Leis pela Universidade de Coimbra. Faz-se um homem de grande cultura, muito bem conhecedor das artes mais ou menos esotéricas, torna-se também colecionador a quem atribuem a posse da maior coleção camoniana jamais reunida em Portugal ao tempo.Altruísta e excêntrico, contratou e influenciou o traço do Arq. Italiano, Luigi Manini a quem encomendou o que hoje se pode observar, luxuriantes jardins, lagos, grutas e construções enigmáticas que ocultam significados alquímicos.Vários hectares, cheios de simbologia isotérica, de braço dado com estilos que vão do Romântico, Gótico, ao Renascentista e Manuelino, sentindo-se também, muita influência Maçónica, Templária e Rosa-Cruz. Enfim, um lugar todo ele Mágico, único do género, em todo mundo, aqui, bem à nossa beira, no Monte da Lua. Até nas Coordenadas 37º 47′ 45” N, 9º 23´’ 45” O, se pode sentir algo de cabalístico.
Esta exposição, pretende humildemente, espevitar a curiosidade de quem a olha, para pessoalmente, podendo, vir a conhecer este extraordinário manancial de arquitetura e ambientes criados pelo Homem.
>
reViriato Merlin “aka” António Fazendeiro

……………………..

(podem conhecer melhor o António Fazendeiro aqui, nas palavras de José Antunes – jornalista e autor do livro Mundos Virtuais editado pela Porto Editora.)

Dia de Clube, de música, de crescer…

span style=”font-family:verdana;”>Último dia de aulas com eles.
Levaram guitarra… mostraram-me os seus dotes (muitos alunos frequentam o conservatório).
Cantei para eles. Não conheciam esta faceta e foi mais uma partilha de quem somos, para além do universo da escola.

No clube investimos algum tempo na aprendizagem de utilização do Facebook…
Há perfis que começam a estar exemplares e eles perceberam bem a diferença. Assim já os visito e deixo um mimo aqui e ali para reforçar o esforço.
Mas também cantámos muito… e quiseram passear pelo Sabor Saber para poderem ensaiar as canções que por lá andam… Rimos muito, também. São horas felizes aquelas em que estamos juntos.

No saldo de alguns projectos concluídos hoje e publicados, destaco o da Carolina Couto… que esteve duas sessões a trabalhar nele de forma muito empenhada – salto qualitativo imenso com aprendizagem de novos comandos, introdução de variáveis e caderno e livro de Matemática abertos ao seu lado… Não é aluna da minha turma, mas é como se fosse.
Chamo-lhes meus a todos, porque se pode ser também Professor de coração e adoptar os que nos procuram para além das nossas turmas. São já uns quantos nas sessões do Clube que vão entrando… e ficando.

Múltiplos de 8 (está dado o mote para vários projectos semelhantes com outros valores e para os divisores também… já os provoquei)
… não deixem de espreitar:

Scratch Project


RSS my delicious

  • Ocorreu um erro; é provável que o feed esteja indisponível. Tente novamente mais tarde.

Blog Stats

  • 166,028 hits
Outubro 2017
S T Q Q S S D
« Out    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Categorias